Tomografia Computadorizada


Tomografia Computadorizada

Como é um exame de tomografia computadorizada?

A tomografia computadorizada é um exame que adquire imagens em três dimensões a partir de um tubo de raio-X que gira rapidamente ao redor do paciente (cerca de 3 rotações por segundo). A aquisição é muito rápida, normalmente durando apenas alguns segundos e o paciente fica deitado numa mesa sob um arco. O arco da tomografia é relativamente curto e não um tubo como a ressonância magnética.

O exame de tomografia pode ser feito com ou sem contraste (de acordo com a solicitação médica) e gera centenas de imagens, que serão processadas e analisadas por um radiologista treinado em estação de trabalho computadorizada para poder avaliar toda esta grande quantidade de informações. Por ser gerado por raio-X, o exame aplica doses de radiação no paciente.

Os tomógrafos de última geração são chamados de multi-detectores ou multi-fileiras pois não adquirem apenas um corte por rotação mas 16, 64, 128 e 160 numa única volta ao redor do paciente. Estes tomógrafos revolucionaram o método nos últimos anos ao permitir uma aquisição de muito mais informação em muito menos tempo. A RAD MED trabalha com tomógrafo de 160 canais e consegue, por muitas vezes, fazer uma avaliação cardíaca completa em apenas um batimento cardíaco.

Para que serve a Tomografia Computadorizada, na prática? 

Ajuda no diagnóstico de doenças do cérebro, abdômen, tórax e coluna, entre outras regiões que não podem ser vistas no exame do consultório ou não podem ser completamente avaliadas por outras técnicas empregadas pelos médicos. O surgimento da Tomografia Computadorizada, na década de 1970, significou uma verdadeira revolução no campo do diagnóstico, tornando-o muito mais preciso e rápido.

O que é preciso na hora de marcar o exame? 

Na hora em que o exame for marcado, o paciente será informado se há necessidade de alguma preparação especial. O jejum, por exemplo, pode ser necessário em alguns casos. Todas as dúvidas devem ser resolvidas no momento em que o exame é marcado para que não haja problemas em sua execução. No momento do exame o paciente deve tentar se manter o mais tranquilo possível e prestar atenção às orientações do profissional que estiver realizando a tomografia.

O que o paciente deve informar ao médico na hora do exame? 

Há algumas informações que podem ajudar tanto na precisão dos resultados quanto na própria segurança do paciente. Não se deve deixar de informar sobre alergia a alguma substância ou doenças do rim e diabete, entre outras doenças. Normalmente, pede-se também para que seja informado se o paciente comeu ou bebeu antes do exame. Há algumas informações que podem ajudar tanto na precisão dos resultados quanto na própria segurança do paciente.

E se a pessoa estiver muito apreensiva na hora do exame? 

Os especialistas dão a seguinte dica: pensar que está sendo submetido a um dos exames considerados mais completos nesta área de diagnóstico por imagem. Devem ser esquecidos medos, como os riscos de radiação, já que a quantidade é considerada pequena neste exame. Não há possibilidade de dor ou sufocação, pois o exame não dói e o equipamento não é fechado.

O que acontece na hora do exame? 

O paciente costuma ser orientado a vestir aventais da própria clínica. Alguns exames podem exigir uma injeção de contraste para melhor visualizar a parte de seu corpo que está sendo objeto de estudo. Um especialista irá previamente informá-lo da necessidade ou não dessa injeção. Em seguida, deitada no aparelho, a pessoa vai deslizar para uma região onde serão obtidas as imagens de seu corpo. Essas imagens vão direto para um computador e são analisadas pelo médico responsável.

O que acontece depois de o exame ser feito? 

É preciso aguardar. O especialista, um radiologista, vai verificar o exame e emitir um relatório para o médico que o solicitou. Terminado o exame, a pessoa está liberada para retomar suas atividades rotineiras. Quanto ao contraste eventualmente ingerido, em poucas horas o corpo já o terá eliminado.